Apresentação do livro


Ficaria contente com a tua presença.
Um abraço.
Eduardo Aleixo
( http://ealeixo.blogspot.com )

UM GRITO!

Escureceu subitamente,
E eu fiquei só.
Estou com medo, mãe,
Muito medo.
Tu sabes como a escuridão me assusta
E o receio que tenho de estar sózinho.
Abraça-me, mãe.
Aperta-me nos teus braços
E afaga-me os cabelos.
Beija-me,
E canta-me uma canção.
Era assim que afastavas o meus sustos de criança
Enquanto o sono não chegava.
Aconchegavas-me a roupa da cama.
Mais um beijo e um sussuro:
“Boa noite, meu amor.
Dorme um soninho descansado.”
Lembras-te?
Claro que lembras.

Como podias esquecer?

Ainda há pouco.
Enquanto o sol descia lentamente no horizonte
A dourar o entardecer,
Me contavas o teu dia.

De repente, ficou escuro,
Muito escuro.

Fiquei só e tive medo.

Mãe,
Não vás, não me deixes aqui sózinho
Com a escuridão à minha volta.
A luz do farol que orientou a minha vida
Apagou-se súbitamente.
Sinto-me perdido.
Chamo-te mas não me respondes.
Estás serena, mas imóvel.
Não me falas, nem me ouves.
Adormeceste.

Aconcheguei-te a roupa
Como sempre me fizeste.
Abracei-te, mas não senti o aperto dos teus braços.
Beijei-te, mas, pela primeira vez, não retribuiste.
Os teus dedos não procuraram os meus cabelos como dantes.
Quis cantar-te uma canção, mas a voz atraiçou-me.
Já dormias. Serenamente.
A mesma serenidade que sempre te acompanhou
Ao longo da tua vida.

Mãe,
Estou assustado e tenho medo.
Sem ti, a criança que me mantive até hoje,
Deixou de fazer sentido. Partiu contigo,
E eu não sei viver sem ela.

Um bocadinho de mim...

Rio

Que rio é este
Que teima em correr
Serpentear?

Rio alado
Açodado
Caudaloso
Revoltoso como o mar
Conturbado
Nutrido de rápidos
Mas de lagos de luar

Este rio
Que me escorre
Que me lava
Que me rega
Me dá vida

Este rio
Que sou
Onde estou
Onde vou

De onde vem
E para onde corre
Este rio
Que corre em mim?

M. Fa. R. (25.03.2008)
 
caros amigos
permitam-me que anuncie e vos convide para o lançamento do meu livro.
no porto realiza-se no próximo dia 20 de setembro pelas 16:00 horas, no ateneu comercial (rua passos manuel 44). em lisboa está previsto ser no dia 10 de outubro em local a anunciar.
se puderem, divulguem entre os vossos amigos. fico grata!
obrigada a todos
luísa

Somos


Somos barcos que choram,


Portos que gritam,


Gaivotas que procuram...


Eduardo Aleixo


( Do livro, a publicar, em breve...)

Fotos do evento

Caros poetas :)

Enviei uma mensagem para o blog da Chiado editora - http://blogue.chiadoeditora.com - para saber quando postariam as fotos da sessão de lançamento do nosso livro.

A Chiado vai pedir ao Portal Lisboa as fotos oficiais mas pediram também para mandarmos as que tivermos para os e-mails: blogue@chiadoeditora.com ou para gm127@chiadoeditora.com .

beijinhos e continuação de boas férias :)

Sou do Mar




Sou das ondas, sou do mar

Sou uma brisa liberta

Sou maré-cheia a chegar

À tua praia deserta.



E assim, neste festim de sabores a sal, permaneço marinheiro deste barco feito vida.