Apresentação do livro


Ficaria contente com a tua presença.
Um abraço.
Eduardo Aleixo
( http://ealeixo.blogspot.com )

UM GRITO!

Escureceu subitamente,
E eu fiquei só.
Estou com medo, mãe,
Muito medo.
Tu sabes como a escuridão me assusta
E o receio que tenho de estar sózinho.
Abraça-me, mãe.
Aperta-me nos teus braços
E afaga-me os cabelos.
Beija-me,
E canta-me uma canção.
Era assim que afastavas o meus sustos de criança
Enquanto o sono não chegava.
Aconchegavas-me a roupa da cama.
Mais um beijo e um sussuro:
“Boa noite, meu amor.
Dorme um soninho descansado.”
Lembras-te?
Claro que lembras.

Como podias esquecer?

Ainda há pouco.
Enquanto o sol descia lentamente no horizonte
A dourar o entardecer,
Me contavas o teu dia.

De repente, ficou escuro,
Muito escuro.

Fiquei só e tive medo.

Mãe,
Não vás, não me deixes aqui sózinho
Com a escuridão à minha volta.
A luz do farol que orientou a minha vida
Apagou-se súbitamente.
Sinto-me perdido.
Chamo-te mas não me respondes.
Estás serena, mas imóvel.
Não me falas, nem me ouves.
Adormeceste.

Aconcheguei-te a roupa
Como sempre me fizeste.
Abracei-te, mas não senti o aperto dos teus braços.
Beijei-te, mas, pela primeira vez, não retribuiste.
Os teus dedos não procuraram os meus cabelos como dantes.
Quis cantar-te uma canção, mas a voz atraiçou-me.
Já dormias. Serenamente.
A mesma serenidade que sempre te acompanhou
Ao longo da tua vida.

Mãe,
Estou assustado e tenho medo.
Sem ti, a criança que me mantive até hoje,
Deixou de fazer sentido. Partiu contigo,
E eu não sei viver sem ela.

Um bocadinho de mim...

Rio

Que rio é este
Que teima em correr
Serpentear?

Rio alado
Açodado
Caudaloso
Revoltoso como o mar
Conturbado
Nutrido de rápidos
Mas de lagos de luar

Este rio
Que me escorre
Que me lava
Que me rega
Me dá vida

Este rio
Que sou
Onde estou
Onde vou

De onde vem
E para onde corre
Este rio
Que corre em mim?

M. Fa. R. (25.03.2008)
 
caros amigos
permitam-me que anuncie e vos convide para o lançamento do meu livro.
no porto realiza-se no próximo dia 20 de setembro pelas 16:00 horas, no ateneu comercial (rua passos manuel 44). em lisboa está previsto ser no dia 10 de outubro em local a anunciar.
se puderem, divulguem entre os vossos amigos. fico grata!
obrigada a todos
luísa

Somos


Somos barcos que choram,


Portos que gritam,


Gaivotas que procuram...


Eduardo Aleixo


( Do livro, a publicar, em breve...)

Fotos do evento

Caros poetas :)

Enviei uma mensagem para o blog da Chiado editora - http://blogue.chiadoeditora.com - para saber quando postariam as fotos da sessão de lançamento do nosso livro.

A Chiado vai pedir ao Portal Lisboa as fotos oficiais mas pediram também para mandarmos as que tivermos para os e-mails: blogue@chiadoeditora.com ou para gm127@chiadoeditora.com .

beijinhos e continuação de boas férias :)

Sou do Mar




Sou das ondas, sou do mar

Sou uma brisa liberta

Sou maré-cheia a chegar

À tua praia deserta.



E assim, neste festim de sabores a sal, permaneço marinheiro deste barco feito vida.

Num Momento

encurraladas, as palavras,

entre sons que hesitam em sair ao mundo.


presas, as palavras,

que não é hora nem momento.


agarradas, as palavras,

por braços do Ontem.


asfixiadas, as palavras,

pelos beijos dados em hábitos permanentes.


e assim entram as palavras em mais um daqueles recantos esquecidos,

para mais tarde recordar.


... a minha apresentação faz-se de palavras antigas. palavras guardadas entre folhas e computadores. caseiros. a minha apresentação faz-se de momentos antigos que servem de ponte para os futuros. a minha apresentação faz-se apenas destas palavras...


Quem serão?

















Um abraço amigo.
Eduardo




APRESENTO-ME



Caros(as) colegas, atrevo-me a chamá-los assim, porque apesar de não ter o mérito nem o talento comparável aos vossos, tenho a honra ver o meu nome emparceirar com os vossos no segundo volume da antologia "Entre o sono e o Sonho". Será talvez presunção da minha parte, e é de certeza, mas acreditem que estou muito feliz por me ver lado a lado, no livro que não em talento, com poetas de tão grande qualidade.

Vou atrever-me a apresentar-me aqui a todos vocês, através de um pretenso poema que julgo que diz alguma coisa do que sou realmente no campo da poesia. NADA!

SEREI EU POETA?

Um poeta
Será apenas alguém
Que escreve poemas?
Alguém que tem o dom
de,usando as palavras,
construir imagens,
Espelhar sentimentos,
Estados de espírito,
E almas em êxtase?

Ser poeta,
É isso, é verdade,
Mas pode ser muito mais.
Se não fosse
Como seria eu um poeta?
E sou.

Sou um poeta
Que não escreve poemas
Porque para isso
Me falta o talento.
A poesia, não sou eu que a faço,
Procuro-a,
E encontro-a.
Sinto-a e vivo-a
No azul do céu,
nas nuvens alvíssimas,
na brandura do vento
e até mesmo na fúria do mar.

Existe um poema
Numa simples flor
E no aroma que exala.
Existe um poema
Na silhueta airosa
De uma mulher elegante.
Existe um poema
Nos alegres trinados
Que a passarada lança nos ares,
Mas o mais belo poema
Encontra-se no sorriso amigável
De uma alma bondosa.

Perdoem-me que diga que,
Embora não tendo o talento
Que me dê o direito
De escrever poesia,
Eu sou um poeta.

Lançamento do nosso livro - 25/7/o9










No meu blogue, À Beira de Água, não publiquei estas fotos porque incluiam pessoas com quem não tinha falado e a quem pediria autorização para as publicar.
Mas agora, como o blogue é nosso...acho que não vão levar a mal: digam só quem são, aqueles que ficaram nas fotos. Obrigado. Bom domingo.
Ah! Eu sou o que aparece mais visível. Não é por vaidade: calhou!



Caros poetas: é um prazer partilhar convosco o gosto pela poesia e pela literatura. Eu não tenho nenhum blogue pessoal e o meu endereço de mail é aquele de que já dispõem. Eu sou membro da Oficina de Poesia da Universidade de Coimbra e do Círculo Literário das Comunidades Europeias (em Bruxelas, a cidade em que vivo). Sei que Bruxelas não é aqui ao lado mas, de qualquer forma, tomo a liberdade de vos convidar para a apresentação do meu primeiro livro de poesia, que terá lugar na "capital da Europa", no dia 3 de Outubro. Entretanto, deixo-vos saudações poéticas. Paulo Pego

calma ,minha gente

em amena conversa ,há alguns dias atrás ,com o João Pedro Namorado ,da PortalLisboa ,alinhavámos uma nova apresentação da Antologia ,em terras algarvias ,mais concretamente ,na Biblioteca Municipal de Silves ,lá para Outubro/Novembro....... falta ajustar alguns pormenores ,atendendo aos tempos conturbados das férias e das eleições que se avizinham ,mas logo que se acorde o melhor dia ,TODOS serão ,mais uma vez ,convocados.............
............os mouros também deverão ter algumas regalias ,não acham?
:))))))))
e que dizem de um encontro lá para o final do ano?
um local onde todos possamos comparecer, partilhar experiências de escrita,...
como vos disse, disponibilizo-me para organizar... se bem que não deve haver muito para decidir além de uma data e lugar que a todos convenha.
quem alinha?

abraços, oferecidos com o calor do algarve, de uma lisboeta com coração no porto.
luísa

Links dos Blogs e Páginas Pessoais

Caros Autores,

Fiz um apanhado dos links que enviaram nos vossos e-mails e coloquei-os na margem direita em "Blogs dos nossos Poetas". Se estiver algum em falta ou existir algum erro avisem-me para eu corrigir a situação :)

********

Benvindos !



Olá a todos :)

Resolvi criar este blog que é talvez a forma mais simples de termos um ponto de encontro para falarmos, trocarmos impressões sobre os nossos poemas (e não só), partilharmos ideias ... e também darmos voz aos nossos amigos e quem sabe leitores :)) sem estarmos restritos aos e-mails ou a redes sociais onde nem todos estão inscritos.

Este blog não é meu, mas sim de Todos os Poetas desta colectânea!

Será um prazer conhecer-vos melhor :)

Joana Sofia Gil