APRESENTO-ME



Caros(as) colegas, atrevo-me a chamá-los assim, porque apesar de não ter o mérito nem o talento comparável aos vossos, tenho a honra ver o meu nome emparceirar com os vossos no segundo volume da antologia "Entre o sono e o Sonho". Será talvez presunção da minha parte, e é de certeza, mas acreditem que estou muito feliz por me ver lado a lado, no livro que não em talento, com poetas de tão grande qualidade.

Vou atrever-me a apresentar-me aqui a todos vocês, através de um pretenso poema que julgo que diz alguma coisa do que sou realmente no campo da poesia. NADA!

SEREI EU POETA?

Um poeta
Será apenas alguém
Que escreve poemas?
Alguém que tem o dom
de,usando as palavras,
construir imagens,
Espelhar sentimentos,
Estados de espírito,
E almas em êxtase?

Ser poeta,
É isso, é verdade,
Mas pode ser muito mais.
Se não fosse
Como seria eu um poeta?
E sou.

Sou um poeta
Que não escreve poemas
Porque para isso
Me falta o talento.
A poesia, não sou eu que a faço,
Procuro-a,
E encontro-a.
Sinto-a e vivo-a
No azul do céu,
nas nuvens alvíssimas,
na brandura do vento
e até mesmo na fúria do mar.

Existe um poema
Numa simples flor
E no aroma que exala.
Existe um poema
Na silhueta airosa
De uma mulher elegante.
Existe um poema
Nos alegres trinados
Que a passarada lança nos ares,
Mas o mais belo poema
Encontra-se no sorriso amigável
De uma alma bondosa.

Perdoem-me que diga que,
Embora não tendo o talento
Que me dê o direito
De escrever poesia,
Eu sou um poeta.

5 comentários:

pin gente disse...

claro que sim , gui!
a poesia está na alma e no olhar ("que vale mil palavras").
também vou ousar e contigo brincar:
"ser poeta é ser mais alto"
assim o diz(ia) uma mulher cujas palavras de poeta admiro. portanto, tu só podes ser poeta... e as palavras confirmam-no.
um beijo
luísa

Eduardo Aleixo disse...

Caro Guy

És poeta, és. Tu sabes que és. Mesmo que finjas que não és. Mentes poeticamente. E é bonito mentir poeticamente. O poeta é um fingidor. Pois finge à vontade. Por mais que a gente finja, ela, a poesis, o acto a criação, não consegue fingir. Porque as palavras brotam. As águas deslisam. A música vem do céu e invade a terra. Os pássaros dizem ele é poeta e o poeta diz que não é. É como o poema de Jacques Prévert: « Tu dis non avec la tête/ Mais tu dis avez le coeur...». Amigo, um abraço.Gostei de te ler.

ausenda disse...

Amigo Guy

Quem disse que a poesia não é a essencia do olhar, o aroma do sentir, a subtileza de ser gente simplesmente! Se a poesia é isso, então quem são os poetas?

Abraço

Fa menor disse...

Olá Gui!
Sinto um imenso prazer em ter a ousadia de também te chamar colega... poeta!

Bjs

Só Eu (Ricardo) disse...

És POETA, sim!
É para mim um orgulho partilhar folhas dum livro onde escreveste.
Forte abraço e até ao nosso encontro
Ricardo

Enviar um comentário